5 perguntas sobre… Bossa Nova

1º postPor Clara Albuquerque (DRT/PE 4916)

No Dia Internacional da Música, comemorado em 1º de outubro, nosso blog estreia, em seu primeiro post, com a sessão 5 perguntas sobre… Aqui, você vai ter cinco respostas sobre algum compositor, parceria, intérprete ou música pertencente à época da Bossa Nova.

E, para homenagear a data, hoje, a gente conversa sobre o movimento que dá nome ao projeto: a Bossa Nova.

O que foi? Basicamente, uma fusão do samba com o jazz. Na época de seu surgimento, no final da década de 1950, o Brasil, ainda, respirava as músicas da Época de Ouro com letras e melodias que davam muito espaço à dor e ao sofrimento. Depois que Vinícius de Moraes começa sua parceria com Tom Jobim e, posteriormente, João Gilberto aparece no cenário musical brasileiro, acontece um movimento, uma inovação, na música brasileira, lembrada, estudada e revivida, através de vários intérpretes, até os dias de hoje. Os compositores precursores do movimento, em especial Vinicius, vêm mostrar que o amor não precisa ser encarado como uma dor para ser bonito. Letras bem trabalhadas, melodias diferenciadas, um ritmo gostoso de ouvir.

Do que abusava, tecnicamente? Havia as harmonias sofisticadas do jazz americano e letras mais próximas do vocabulário falado. João Gilberto inaugurava uma batida diferente no violão, sincopada no tempo fraco pelos bateristas. Havia o predomínio dos tons menores, o que surpreendia o ouvido humano, simulando desafinação e acordes dissonantes.

Do que mais se influenciou? Do jazz americano, combinado com o impressionismo erudito representado por compositores como Debussy e Ravel.

Quais as composições mais lembradas? Se falarmos dos compositores, muitos lembrarão, automaticamente, das composições da Bossa Nova. Difícil citar um sem citar todos, mas vamos tentar: Vinícius de Moraes, Tom Jobim, João Gilberto, Ronaldo Boscoli, Carlos Lyra, Roberto Menescau e Baden Powell. Para as músicas, encontramos a mesma dificuldade, mas aí vão algumas: Chega de Saudade, Bim Bom, Desafinado, Samba de uma nota só, Garota de Ipanema, Corcovado, Minha Namorada e O Barquinho.

O que representou para a MPB? Sem exagero, uma revolução, uma identidade para a música brasileira. Uma fase de renovação dessa musicalidade.

Que nesse Dia Internacional da Música possamos escutar muita Bossa Nova! Abraços e até o próximo post!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s