38% dos nossos expectadores acham que a reflexão é o maior sentido da música

Por Clara Albuquerque DRT/PE 4916

kjn~degHá pouco mais de um mês, o blog quis saber de você qual o maior sentido da música. Para isso, lançamos uma enquete e fornecemos algumas opções de resposta: reflexão, arte, cura e diversão.

O maior número de internautas que votaram (38%) acham que o maior sentido da música é a reflexão. Em segundo lugar, tivemos o empate entre cura e arte (23%). Em terceiro lugar vem a diversão com 15%.

É isso aí gente! A música é um elemento essencial para a cultura de qualquer povo, em primeiro lugar. A partir dela, podemos nos divertir, podemos refletir, podemos admirar enquanto arte e, também, achar um espaço para aninhar as nossas emoções. Desejamos que a música promova, a você, todas essas boas influências. E vamos escutar música! Abraços!

Anúncios

Depoimento: Chico Naziazeno

Por Clara Albuquerque DRT/PE 4916

Hoje, trazemos o depoimento de mais um dos nossos expectadores sobre o projeto, o professor de música, Chico Naziazeno. Você, também, pode enviar o seu! Queremos saber o que você está achando do projeto e suas sugestões. Envie seu depoimento para nós com uma foto sua: newtonbanks.imprensa@gmail.com

20140415_162036Hoje em dia, nós vivenciamos uma decadência dos valores. Isso é refletido, também, na música que é consumida pela juventude. Então, é importante que os músicos divulguem música de qualidade. Neste aspecto, o trabalho musical do professor Newton Banks tem essa prerrogativa. Com sua formação em violão erudito, ele dá um tratamento instrumental e camerístico à música popular, em especial à Bossa Nova, que é um dos gêneros mais respeitados, no mundo. Com isso, o professor Banks forma novas plateias e mantém acesa a chama da boa música popular brasileira.

 Chico Naziazeno
(professor do Centro de Educação Musical de Olinda e da Escola Conego Jonas Taurino)

Bossa Nova na Web: Som Brasil – Bossa Nova

Por Clara Albuquerque - DRT/PE 4916

Olha só o que achamos na rede: o programa Som Brasil sobre a Bossa Nova na íntegra! São quarenta e dois minutos que valem a pena serem apreciados enquanto você está nos seus afazeres. Com apresentação da atriz Patrícia Pilar, o programa faz uma abertura contextualizada sobre o surgimento da Bossa Nova. Os convidados deram um toque contemporâneo ao repertório da Bossa, são eles: Georgeana Bonow, Celso Fonseca, Tibless e Roberto Menescal, compositor atuante do movimento. Roberto traz as cantoras Andrea Amorim, Cris Delanno, Daíra Sabóia e o grupo Bebossa para sua apresentação. Entre as músicas tocadas, destacamos Rio, Ela é carioca, O pato, Garota de Ipanema, Desafinado, O barquinho, Só tinha de ser com você, Sambou Sambou, Balanço Zona Sul e Eu e a brisa. A cantora Alaíde Costa fecha o programa se apresentando com Celso e canta Onde está você.

Abaixo, o vídeo para sua apreciação. Confira!

Nossas dicas: Diário Musical

marca álvaroO Nossas Dicas de hoje traz o Diário Musical, um projeto audiovisual caseiro idealizado pela jornalista e estudante de Música Clara Albuquerque e realizado por ela em parceria com Joanna Karollinny, também estudante de Música. Trata-se de videoclipes cover em formato acústico produzido e filmado pelas estudantes, alguns em parceria com amigos, que são acompanhados por reflexões ou histórias da vida delas cujo ponto de partida é a música. “A ideia surgiu de uma vontade minha de dividir com as pessoas reflexões, aprendizados e histórias que a música provoca em mim. Então, estamos pautadas em um repertório que não está preso a um estilo, mas que diz muito sobre nós, é o que gostamos, é o que nos provoca uma reflexão, é o que marcou nossa história”, conta Clara.

O objetivo principal do Diário é demonstrar que a música não se restringe a um conjunto de notas sucessivas ou simultâneas. “A música, para mim, transcende uma harmonia ou melodia bonitas, ela passa uma mensagem, ela marca um momento, ela aborda um tema que nos faz pensar”, diz Clara.

1903028_653412871384696_826288779_nA dupla iniciou no dia 19 de janeiro deste ano e pretende explorar a experiência do universo acústico da música, aprender bastante com isso e contar muitas histórias. Antes ou depois de cada clipe, é lançada uma reflexão através de uma conversa com o público que já assumiu o formato de texto e vídeo, num sistema que reúne dois formatos muito utilizados pelos usuários do Youtube: o vlog e o cover. É como se um diário fosse escrito a partir das músicas contempladas. O canal, disponível no Youtube, é separado por capítulos temáticos como “Minhas histórias com os amores frustrados” e “O que aprendi na vida” onde cada música representa uma página (que pode ser compreendida como um episódio), montando diferentes playlists.

O Diário teve início na casa de Clara e, depois, passou a assumir o formato de clipes, inclusive com gravações externas. A dupla explica que o material utilizado para as gravações é amador, contudo, o projeto é pensado de uma maneira séria e, ao mesmo tempo, divertida para o público.

Os vídeos são postados, semanalmente, às segundas-feiras. Até agora, as meninas contemplaram diversos nomes da MPB como Claudio Zoli, Marisa Monte, Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown, Ricardo Feghali, Belchior e Cartola.

O público é, sempre, convidado a interagir, se inscrevendo no canal, trocando ideias, dividindo algum episódio de suas vidas e pedindo músicas nos comentários dos vídeos e nas redes sociais. “Adoraríamos receber vídeos das pessoas contando suas histórias com alguma música. A gente pode bolar um vídeo a partir desse vídeo e, ainda, colocar o fã como participante especial. Posta aí, gente!”, convida Clara.

Recentemente, o projeto iniciou parcerias com músicos convidados. O Diário já recebeu o violonista e estudante de Música Janilson Santos e o percussionista Mestre Lua. As parcerias devem continuar nos próximos vídeos. “Quem quiser ter o Diário no seu evento pode, também, entrar em contato conosco. Além dos trabalhos em festas, podemos levar nosso show para quem quiser ver”, diz Clara.

Abaixo, o mais recente vídeo do projeto. Confira!

Serviço:

Endereço do canal: youtube.com/musicaldiario

Contato do projeto: musicaldiario@gmail.com

Fanpage: facebook.com/musicalldiario / Soundcloud: soundcloud.com/di-rio-musical

Twitter: @musicaldiario / Google+: Diário Musical

5 perguntas sobre: Canhoto

Por Clara Albuquerque DRT/PE 4916

 O 5 perguntas de hoje traz cinco respostas sobre o músico Canhoto.

canhoto Quem foi? Seu nome era Américo Jacomino, mas era conhecido como Canhoto do violão (1889-1928). O apelido veio do fato de ele não ser destro mas conseguir tocar o violão mesmo sem inverter as cordas. Compositor e instrumentista paulista, tocava bandolim e violão.

 Do que abusava, tecnicamente? Transitava, facilmente, por diversos gêneros como a polca, a valsa, a mazurca, o dobrado e o tango. Segundo o blog Cifrantiga, havia o seu vibrato característico e inigualável, que ele tirava de um violão de corpo mais fino com braço não muito rígido.

 Do que mais se influenciou? Ele nunca frequentou a escola. Aprendeu a ler e escrever com os pais, em casa. Iniciou sua carreira cantando em serenatas. Posteriormente, tocou em cinemas e, quando ficou conhecido como violonista, fez contrato com gravadoras.

 Quais as composições mais lembradas? Existe uma que é bem conhecida, chama-se Abismo de Rosas, composta quando ele tinha 16 anos. Antes do título atual, essa música já teve o nome de Acordes do violão. É considerada um hino do instrumento, presente no repertório de vários e renomados violonistas

 O que a sua música representou para a MPB? Contribuiu para a popularidade do violão sem contar na sua versatilidade tanto na execução dos gêneros musicais quanto na composição.

 Fontes:

Canhoto. Disponível em: http://cifrantiga3.blogspot.com.br/2006/03/canhoto.html. Acesso em 7 de abril de 2014.

Abismo de Rosas. Disponível em: http://cifrantiga3.blogspot.com.br/2006/04/abismo-de-rosas.html. Acesso em 7 de abril de 2014.