Projeto Bossa Nova por Newton Banks se prepara para voltar ao palco do ETECM

No dia 29 de julho, a Escola Técnica Estadual de Criatividade Musical recebe mais um recital do projeto que faz releituras violonísticas do repertório Bossa Nova

Por Clara Albuquerque

DSC00113Quem está com saudades dos recitais do projeto Bossa Nova por Newton Banks vai adorar saber e quem deseja apreciar um agradável momento de Música de qualidade e uma boa conversa, lema do projeto, vai se interessar em conhecer o trabalho deste violonista que se prepara para mais uma apresentação. No dia 29 de julho, a Escola Técnica Estadual de Criatividade Musical (ETECM), situada no bairro da Boa Vista, no Recife, receberá, mais uma vez, o projeto que faz um trabalho de resgate e releitura violonística das obras dos compositores que fizeram parte do movimento Bossa Nova, no Brasil, a partir do final da década de 1950. O recital começa às 18h.

Newton Banks, violonista erudito e idealizador do projeto, ansiou por fazer um trabalho com músicas populares em 2011. “Sou um grande apreciador do movimento Bossa Nova. Foi, sem dúvida, um período de efervescência musical, em nosso país. Então, quis resgatar, através do projeto, as histórias de composição dos personagens atuantes e, também, apresentar uma releitura das músicas, no violão, tanto pra quem quer relembrar essa época como pra os jovens que, ainda, não conhecem. Acho que todos devem ter a oportunidade de ouvir o repertório da Bossa Nova”, diz o músico. O projeto já visitou diversas instituições educacionais e pontos turísticos da cidade de Olinda, como as igrejas.

Para este recital, Newton preparou um repertório recheado de obras de grandes compositores como Chico Buarque de Holanda, Tom Jobim, Vinícius de Moraes e Garoto. Entre uma música ou outra, o artista aproveita para interagir com o público contando um pouco das histórias onde os músicos dessa geração estiveram envolvidos e que acabaram por influenciar no estilo bossa nova de compor. “Esse trabalho é muito fluido. É interessante como um recital nunca se iguala a outro. É um momento em que eu me sinto à vontade, e o público também, de refletir sobre essa musicalidade e, também, de fazer contrapontos com a realidade contemporânea da música brasileira, mais de quarenta anos após o surgimento da Bossa Nova”, explica Newton.

Você está convidado para uma noite agradável de boa música e conversas interessantes. Venha reviver ou conhecer o movimento Bossa Nova, um dos mais lindos da História da Música Popular Brasileira!

Serviço:
O quê: Recital do projeto Bossa Nova por Newton Banks
Quando: 29 de julho de 2014, às 18h
Onde: auditório do ETECM (Rua da Aurora, 439, Boa Vista, Recife)
Entrada franca.

Anúncios

Depoimento: Chico Naziazeno

Por Clara Albuquerque DRT/PE 4916

Hoje, trazemos o depoimento de mais um dos nossos expectadores sobre o projeto, o professor de música, Chico Naziazeno. Você, também, pode enviar o seu! Queremos saber o que você está achando do projeto e suas sugestões. Envie seu depoimento para nós com uma foto sua: newtonbanks.imprensa@gmail.com

20140415_162036Hoje em dia, nós vivenciamos uma decadência dos valores. Isso é refletido, também, na música que é consumida pela juventude. Então, é importante que os músicos divulguem música de qualidade. Neste aspecto, o trabalho musical do professor Newton Banks tem essa prerrogativa. Com sua formação em violão erudito, ele dá um tratamento instrumental e camerístico à música popular, em especial à Bossa Nova, que é um dos gêneros mais respeitados, no mundo. Com isso, o professor Banks forma novas plateias e mantém acesa a chama da boa música popular brasileira.

 Chico Naziazeno
(professor do Centro de Educação Musical de Olinda e da Escola Conego Jonas Taurino)

Bossa Nova na Web: Som Brasil – Bossa Nova

Por Clara Albuquerque - DRT/PE 4916

Olha só o que achamos na rede: o programa Som Brasil sobre a Bossa Nova na íntegra! São quarenta e dois minutos que valem a pena serem apreciados enquanto você está nos seus afazeres. Com apresentação da atriz Patrícia Pilar, o programa faz uma abertura contextualizada sobre o surgimento da Bossa Nova. Os convidados deram um toque contemporâneo ao repertório da Bossa, são eles: Georgeana Bonow, Celso Fonseca, Tibless e Roberto Menescal, compositor atuante do movimento. Roberto traz as cantoras Andrea Amorim, Cris Delanno, Daíra Sabóia e o grupo Bebossa para sua apresentação. Entre as músicas tocadas, destacamos Rio, Ela é carioca, O pato, Garota de Ipanema, Desafinado, O barquinho, Só tinha de ser com você, Sambou Sambou, Balanço Zona Sul e Eu e a brisa. A cantora Alaíde Costa fecha o programa se apresentando com Celso e canta Onde está você.

Abaixo, o vídeo para sua apreciação. Confira!

Nossas Dicas: Música brasileira e jazz – o outro lado da história

Por Clara Albuquerque (DRT/PE 4916)

O Nossas dicas de hoje traz, a você, o artigo Música brasileira e jazz – o outro lado da história, de André Luis Scarabelot que, em ocasião de uma fase de estudos para o mestrado, nos Estados Unidos, teve um contato mais próximo com músicos de jazz e fez uma pesquisa para descobrir a influência da música brasileira nesses músicos. Musicalmente falando, ele assume a Bossa Nova como um “elemento de exportação” da nossa cultura.

Para realizar a pesquisa, André fez entrevistas com os músicos norte-americanos, todos professores do California Institute of the Arts (Calarts)/EUA, estudou bibliografias discográficas e, também, se utilizou da internet. O autor remonta aos anos 1920 provando que, nessa época, o jazz já era muito presente no nosso país e que se intensificou com a ocorrência no New Deal, nos Estados Unidos. Sendo assim, ele afirma que a Bossa Nova foi a síntese de um conjunto de processos individuais e coletivos que vinham se desenvolvendo na música popular brasileira. Coletivamente, era como se todos os músicos estivesse a procura de novidades musicais. Já no âmbito individual, André transcorre por detalhes do trabalho de alguns músicos atuantes do movimento bossa nova como João Gilberto e Tom Jobim.

André toma como referência os ideais modernistas de Oswald de Andrade, como a antropofagia, para fazer analogia entre a música brasileira e o jazz. A antropofagia traz a ideia da “deglutição” e absorção do “inimigo” para superá-lo. Ele afirma que, com o surgimento da bossa nova, o país estava dizendo não à importação e se apoderando de elementos estrangeiros para criar um produto único que poderia ser exportado.

A boa novidade é que você pode conferir o artigo, na íntegra, aqui, mesmo, na internet. Acesse: http://www.revista.art.br/site-numero-03/trabalhos/07.htm e aproveite! Boa leitura!

Bossa Nova na Web: A Bossa no carnaval 2014

Por Clara Albuquerque
DRT/PE 4916

dsc00104_.jpgEm uma pesquisa na Web, descobrimos a Bossa Nova sendo tocada durante o último carnaval, acredita? Fizemos duas perguntas ao violonista Newton Banks Jr., idealizador do projeto que dá nome a este blog, para saber a sua opinião a respeito. Confira!

Blog: Através de uma pesquisa na internet, descobrimos que o Bar +55, que fica em Curitiba, fez uma programação diferente para o carnaval. Através das atrações DJ Murillo Mongelo e Schasko, o bar levou jazz, MPB e Bossa Nova ao público em uma época festiva em que esses estilos não são tão comuns. O que você acha disso?

Newton: Toda forma de divulgação da Bossa será válida. Muito boa a iniciativa do DJ, todavia, prefiro um banquinho e um violão (risos).

Blog: Para você, o repertório da Bossa Nova são músicas para se ouvir o ano inteiro?

Newton: Infelizmente, a boa música não é veiculada nos meios de comunicação. Porém, a Bossa, em si, deveria, sim, ser tocada o ano inteiro, com certeza!